Mudanças na Avenida Ayrton Senna e na Ponte Lúcio Costa vão alterar trânsito na Barra

postado em: Notícias | 0

fonte: O Globo

Não precisa nem ser a hora do rush para se ouvir queixas sobre o tempo gasto no trânsitovindas de motoristas e usuários de transporte público que se locomovem pela Barra e pelos bairros vizinhos. EmJacarepaguá , por exemplo, um morador lamenta levar, pela manhã, cerca de uma hora para percorrer 800 metros.

— Todo mundo quer pegar a Linha Amarela ou ir no sentido da Cidade de Deus. O trânsito não anda — conta o empresário Ronan Marques.

O ponto em questão é um trecho da Estrada do Engenho D’Água, entre aEstrada de Jacarepaguá e a Avenida do Canal do Anil. Esse é um dos locais da região que passarão por grandes intervenções em mais uma tentativa de aliviar o trânsito , como revelou a CET-Rio com exclusividade ao GLOBO-Barra.

—Temos convicção de que a melhora na mobilidade em grandes metrópoles, como o Rio, depende da priorização do transporte público de alta capacidade. Mas intervenções pontuais no sistema viário, como as que estamos fazendo na Barra, no Recreio e em Jacarepaguá, são essenciais para manter a fluidez nesses bairros— explica Joaquim Dinis, presidente da CET-Rio.

No Recreio, a principal mudança será a transformação de vias de mão dupla em mão única de direção. As primeiras vão ser as ruas Jorge Emílio Fontenelle, Gustavo Corção e Nehemias Gueiros. A medida foi pensada para melhorar a circulação e aumentar a oferta de vagas.

— As alterações vão ter início a partir do segundo semestre. Fazemos cerca de uma quadra por semana por causa do nosso limite hora/homem, e demora mais ou menos um mês para alterar o sentido de uma rua. Hoje, muitos moradores acabam estacionando nessas vias de mão dupla, e sobra pouco espaço para os veículos passarem — explica Cláudio Gomes, engenheiro da CET-Rio que coordena as áreas da Barra e de Jacarepaguá.

A Barra terá o maior volume de modificações. A ligação da Avenida Engenheiro Cezar Hermano Jordão Freire com a Avenida Ayrton Senna promete diminuir a fila da Avenida Luis Carlos Prestes para os motoristas vindos da Avenida das Américas , uma demanda antiga.

— Toda a geometria (obra física) está pronta e em fase de projeto da sinalização. Acredito que em até três meses a via estará aberta, mas depende também da Secretaria de Obras — adianta Gomes.

Na Ayrton Senna, as três primeiras agulhas da pista sentido praia serão invertidas, para que os veículos que saem da Avenida Abelardo Buenopossam acessar a pista central da Ayrton Senna com mais rapidez. A alteração será realizada ainda este ano.

— Hoje, esses motoristas precisam percorrer 1,4 quilômetro até mudarem de pista, além de serem obrigados a enfrentar o trânsito que vem da pista central e da Ponte Estaiada . O trajeto vai ser reduzido à metade e aliviar um pouco o tráfego na Abelardo, que tem ficado pesado, principalmente pela manhã — garante o engenheiro.

Está em elaboração o projeto de ligação da pista central da Américas com a da Ayrton Senna no sentido Linha Amarela. O objetivo é reduzir a fila na pista lateral, ocasionada, dentre outros fatores, pela espera para acessar o mergulhão.

— Antes, só tínhamos uma agulha ali. Colocamos outra e funcionou muito bem. Estudamos alterar a segunda agulha, para o motorista cair na pista central da Ayrton Senna, que leva para a Linha Amarela, em vez de na lateral, de forma que não tenha que concorrer com quem vai pegar o mergulhão ou sai do BarraShopping — diz Gomes.

Na Avenida Armando Lombardi, estuda-se criar uma saída domergulhão para a pista central. Atualmente, a única opção leva à pista lateral.

— Estamos fazendo contagem e simulação. Hoje, quem sai do Itanhangá só consegue seguir para o Recreio depois do terminal rodoviário. Logo, quem está vindo do Recreio e quer voltar para a direção sentido Recreio concorre com esse fluxo do Itanhangá, que é pesado. Queremos que quem sai do mergulhão tenha a opção de seguir para a pista central sem passar pela lateral. Para isso, será preciso avançar com as pistas para o canteiro central do metrô, a fim de alargar mais a Armando Lombardi — detalha Gomes.

Outra obra, já em fase de execução, é a eliminação do “S” que dá acesso à Ponte Lucio Costa . A sinuosidade sempre foi motivo de reclamação de motoristas. Quando a obra estiver finalizada, o acesso à ponte, no sentido Américas, será direto. Também está prevista, na saída da ponte, no sentido Américas-Avenida Lucio Costa, a construção de uma alça de acesso ao Canal de Marapendi .

Jacarepaguá, Freguesia, Anil e Gardênia, bairros que não foram beneficiados diretamente pelos corredores expressos Transcarioca eTransolímpica , também terão alterações significativas no trânsito. A Estrada do Engenho D’Água, que em breve terá um shopping do grupo Multiplan e um grande residencial, será duplicada no trecho entre a Estrada de Jacarepaguá e a Avenida Canal do Anil.

— Essa foi uma das exigências da CET-Rio para a construção do Park Jacarepaguá. O shopping vai ceder parte de seu terreno para essa obra, e teremos duas faixas no sentido Barra. Onde existe a calçada hoje será o canteiro central — adianta o engenheiro Cláudio Gomes.

No local, o fluxo de trânsito é tão intenso que, apesar da duplicação prevista, há quem duvide de que a obra vá resolver o problema.

— Sabemos que o shopping vai trazer desenvolvimento, mas ele também vai atrair um número ainda maior de veículos. A duplicação talvez resolvesse se o fluxo não fosse aumentar — diz Diego Correia.

As interseções da Estrada de Jacarepaguá com a Rua Ituverava e a Avenida Tenente Coronel Muniz de Aragão serão readequadas. A Muniz de Aragão também vai ganhar alterações de geometria, na altura do terminal rodoviário da Gardênia.

— Essas interseções são um trecho de grande conflito nos horários de pico. Outro gargalo é no terminal rodoviário, na ligação Jacarepaguá-Barra. A Muniz de Aragão também vai sofrer alterações de circulação e geometria na interseção com a Engenho D’Água, possibilitando ganho no tempo de sinal verde para os motoristas —explica o especialista da CET-Rio.

Diretor comercial de uma autoescola, Edson Marinho aguarda ansioso pelas obras:

— Aqui é sempre uma bagunça. Os motoristas não param de buzinar. Ninguém respeita ninguém, tem atropelamento, batida de carro, acidente com moto.

Outra novidade é a implantação do projeto Travessia Segura na Rua Araguaia, com faixas de pedestres protegidas por ondulações e sinalização especial nas interseções.

— Vai ser o piloto de um projeto que há em todo o país, menos no Rio. É uma parceria com a Superintendência de Jacarepaguá. Lá não há sinalização para pedestres, e não dá para botar um sinal a cada 50 metros, porque pioraria muito o trânsito. As ondulações antes e depois da faixa protegem o pedestre — diz Gomes.